segunda-feira, 17 de agosto de 2015

Flash09 - Por Amor Crew


Buscamos compartilhar a cultura e o ideal de pessoas reais que acreditam nela, esperamos que com isso mais pessoas criem conceitos e comecem a olha-la como realmente ela é. Não que tudo que for falado aqui seja uma verdade absoluta, cada um tem uma vivência e seu estilo de vida, mas acreditamos que a partilha dessas idéias, vivências e opiniões é o que movem a cultura Hip Hop e a mantém viva.



Nest: Como você começou na cultura? Seu primeiro contato com a parada?

Flash:Meu primeiro contato foi com a música, quando começei a escutar alguns raps, me identifiquei na hora, logo começou a aparecer algumas informações; que existia uma cultura, os elementos, as roupas, as linguagens, lugares, histórias, filmes, etc... Até chegar os dias de hoje.



Nest: Quem era da correria com você na época? Como era a cena do graffiti?

Flash: Depois de um tempo, quando eu estava iniciando na cultura e ter deixado as rimas de lado, me veio a ideia de começar a fazer graffiti pelas ruas, pois achava da hora a parada e desenhava desde muito pequeno. Acredito que tenha sido por curtir mesmo a cena, ja que nunca tinha visto alguem pintar na minha frente, e todo o pessoal da cidade só pixava, nesse ponto o lado do graffiti me deu algum destaque. Tive algumas crews, varios começaram por moda e logo pararão, mas a que mais bombou foi a SVC! (Subway Vandal Crew!), em homenagem aos filmes dos anos 80 que nos assistiamos e viamos os trens grafitados com os trampos e murais.

Nest: Acompanhamos seu corre e você tem rolês tanto em trens, bomb, assim como muros produzidos, liberados, etc. Como é transitar por essas vertentes do graffiti e como você define/diferencia elas?

Flash: Acho que cada momento tem a sua hora, mas toda hora é hora de pintar. Gosto de explorar ao maximo do graffiti, sempre tem algo de novo ou em algum lugar novo pra se pintar. Adoro fazer muros produzidos e murais por ai, mas de nada vale você ser um escritor de graffiti e não ter o seu nome em todo canto da cidade, passar pelas ruas e ver seus roles, onde você fez, o que teve que fazer pra pintar, acho que isso é o mais gratificante.

Nest: Hoje parte da PA Crew, qual seu foco no momento?

Flash: Antigamente quando eu era da SVC! meu foco sempre foi estar com os amigos pintando e honrando o nome da crew, os outros integrantes se afastaram e brigaram, por causa de drogas, bebida, mina, respeito, ego, e apenas eu segui no mesmo caminho e levei sozinho o nome da crew, hoje não é diferente, quero o maior respeito pela minha crew, pois só quem gosta faz POR AMOR.

Nest: Após anos no graffiti, hoje você também busca evolução dentro do breaking. Qual a importância disso pra você, a prática de dois elementos da cultura Hip Hop? O que muda ser escritor de graffiti e bboy?

Flash: O principal de tudo é gostar do que faz, não ir pela moda, é melhor estar praticando sozinho que muitas vezes mal acompanhado. Não se muda nada entre um b-boy e um escritor de graffiti, a postura é a mesma, a conduta é mesma, para os dj's e mc's tambem, acredito que só se muda na forma que é praticado, o graffiti trabalha muito com visão e mente, e o breaking com mente e o corpo os dois precisam estar em sintonia e equilibrio.

Nest: Vemos você como frequentador assíduo do Battle in the Cypher. Participou da jam de graffiti e nesse ano inclusive de batalhas de breaking. Conte-nos como foi sua experiência, o que você leva do BITC?

Flash: Pra mim é sem duvidas o melhor evento de hip hop do Rio Grande do Sul, muito bem estruturado e juntando bem os 4 elementos. Esse ano tive o prazer de participar das batalhas de breaking para iniciante onde tive a felicidade de ficar em segundo, uma experiencia nova e muito gratificante, alem da jam de graffiti, feitas pra pintarmos com os nossos amigos; acho que é isso que vale, as amizades, risadas, pinturas, danças, pessoas novas que sempre aparecem, os workshops com grandes professores, são muito bons tambem, sem falar da informação adquirida que nunca falta, volto sempre pra casa feliz e com o pensamento de dever comprido.



Nest: Um recado pra rapaziada que pinta, que pensa em começar a dançar ou a pintar, que pratica ou não mais de um elemento, pra todos que fazem parte da cultura Hip Hop:

Flash: A primeira coisa é ter respeito: respeito com a cultura principalmente, respeito com os caras que deram inicio, os que trouxeram pra ca, os que começaram aqui, a todos que levam muito a serio sem deixar de amar o que faz e nunca pensar que é perda de tempo, pois para ser do hip hop não precisa ser um elemento, apenas vive-lo. Busque informação isso é ecenssial pra ser passada a outras gerações, e por favor originalidade que anda em falta no momento, sempre pensando na evolução. obrigado Nest Panos. Paz a todos.

2 comentários:

alvin tags disse...

salve flash salve nest panos sou de canoas e adorei essa coletiva flash falou tudo e mais um pouco .tem q ser respeitada a origem d tudo e a historia dos praticantes venho dizer e afirmar q flash09 representa muito bem canoas um forte abraço alivn..

Cristian Ferreira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.