segunda-feira, 24 de outubro de 2016

Entrevista com Poeto TBB-MMR

Hoje vamos de entrevista com o B.Boy e Rocker Poeto, de Genebra na Suiça, e que representa Crews como TBB e Master Mind.
                                                   
Foto: Yury Pyx'ys

Nest : Há quanto tempo dança, e como começou a dançar ?

Poeto: Comecei a dançar de forma séria em 2009, através de um acampamento Hip Hop organizado pela associação JAIA. No início apenas dançava Bboying. Em 2014 estive 4 meses em New York, onde descobri Master Mind, este foi meu ponto de partida para o Rocking. Foram Ringo e Mighty Mike os que me acolheram para que eu começasse.

Nest :Que Crews representa ?

Foto Yuri Pyx'ys
Poeto: Sou Membro de duas crews, ambas originárias em New York e presentes no resto do mndo. A primeira é uma crew de bboying, The Bronx Boys Rocking Crew (TBB). A segunda uma crew de rocking, Master Mind Rockers (MMR). No que se refere a Genebra, minha cidade de origem, faço parte de Sixteen Crew, chamada também de Atomic Force. Também junto a meu colega Mans, sou o fundador da primeira crew de rocking da Suíça, a Funky Force Rockers.

Como entrou na TBB e na Master Mind ? O que significa fazer parte dessas crews ?

Primeiro comecei na TBB. Quando fui a New York, me haviam passado o contato de Slex, uma pessoa que fazia parte dos Bronx Boys . Desde o começo Slex me fez encontrar outros membros de TBB e também me apresentou a vários protagonistas  da cultura Hip Hop, os históricos etc... De forma que iniciei o processo que me iria permitir a fazer parte da TBB. Ao fim de quatro meses, passei os testes de iniciação e batalhei com os outros memebros de TBB, desta maneira me converti em um TBB.
Atualmente, sou o presidente do capítulo suiço dos Bronx Boys.
Sobre a MMR, foi Slex quem me falou de Ringo. Foi na minha primeira semana em NY, havia uma batalha em um club de Box, no sul do Bronx, neste local que vi Ringo e Floor Phantom fazer rocking. Para mi foi uma autêntica revelação.
Perguntei onde se podia aprender o rocking, Slex me dice que Ringo e Master Mind tinham seções todas sextas feiras no Brooklyn. A partir daé estive todas as sextas sem faltar uma única vez
Ringo y Mighty Mike virão que tinha grande motivação e que aprendia rápido
Da minha parte, a cada evento tentava ‘rockear’ contra o maior número de gente que podia, com o fim de progredir o mais rápido possível. No fim da minha estada em NY, em maio de 2014, acreditaram em mim e assim me converti em MMR Junior. Me deram como missão desenvolver o rocking na Suiça. Quando voltei a NYC no verão de 2015, me fizeram membro de MMR.


Fale o que é a dança Rocking ?
O Rocking que eu pratico e que melhor conheço, é o Brooklyn Rock. É o que aprendi de MMR, que é uma crew original de Williamsburg Brooklyn. Também existe uma forma de Rocking no Bronx, mas que é bastante diferente. Os melhores exemplos desse estilo são Papo , Enoch e Willie Estrada. O estilo do Bronx se baseia mais no freestyle, tem muitos passos super desenvolvidos. De fato, esses passos forão o berço de passos atuais de danças como house e outras. No Bronx, também se fazem Burns, mas no meu ponto de vista, está mais centrado na dança. No Brooklyn também se faz a diferença entre a parte freestyle e a parte que se faz break. Nos breaks da música é quando se faz mais Jerk. O Jerk é um movimento em 4 tempos em que move o quadril. É o movimento emblemático do Brooklyn Rock, vem de Bushwick, um bairro do Brooklyn. Para mim essa é a diferença mais importante entre o rocking do Bronx e o do Brooklyn. No Bronx não se ‘jearkeava’, mas se ‘dropava’, não havia Jerk.
Foto: Nina Perrier
Contudo, se ve na história que essa dança aparece pela primeira vez entre o final dos anos 60 e início dos anos 70. No começo era uma dança praticada exclusivamente pelos Outlaws, ou seja, os gangueiros ou membros de bandas. Viravam brigas, com armas e golpes. Normalmente, os que se enfrentavam não deviam tocar-se, mas as vezes as coisas saiam do controle. A segunda geração de rockers, não faziam parte necessáriamente parte de uma banda, eram gente de bairros, na sua maioria porto riquenhos que tinham a cultura de dançar. Mas, visto que sua realidade diaria eram as bandas, imitavam o que viam e mesclavam com o componente dança que era o que eles tinham. E assim nasceu o rocking que conhecemos hoje em dia.
É facil de compreender que as bandas tiveram uma importância primordial na cultura do rocking. E também a razão da maioria dos rockers levam Jaquetas de Couro, com cores e com o lema Apache Line etc...



Como pensas que esta o Rocking no mundo ? Está mais popular ? Isso é bom ou mal ? Que medidas se precisa tomar para preservar essa cultura ?

Na atualidade, o rocking se desenvolve cada vez mais. E tem cada vez mais países em que se pratica e que se interssam por essa dança. O que para mim é excelente! Hoje em dia, tem gente da América Latina, Africa, Europa, Asia, Oceania, que rockean. O que tem que tomar cuidado é que essa dança e essa cultura evolua por um bom caminho. Explico, o risco quando uma dança se populariza demasiada é que algumas pessoas não verão nisso uma forma de fazer dinheiro. Logo alguns vão a aproveitar-se da situação e omeçar a organizar cursos sem realmente conhecer o sentindo dessa dança, sua história, sua cultura... Para mim esse é o maior perigro. É assim como uma cultura sofre e desaparece. É o que passou com o bboying e o hip hop. Que hoje em dia, tem gente que os ensinam sem realmente conhecer, é algo que deve-se evitar a toda custa. É nossa missão, nós da nova geração temos que assegurar que essa cultura se desenvolva por um bom caminho. Temos que nos preocuparmos e fazer um modo que em nossos países não se façam barbaridades.
Poucos são os que foram a aprender o rocking diretamente na fonte, em NYC, e que possuem boas informações. É por isso que precisamos por as mãos a obra e educar corretamente as pessoas. Nem todos tem sorte de poder viajar, em compensação são muitos que querem aprender. É nossa responsabilidade transmitir o que temos apreendido, para assegurarmos que outros, em sua vez , possam transmitir mais tarde.
Temos que ser duros com os ladrões e não ter medo de tornarmos inimigos. Entre os que melhor conseguiram fazer coisas boas, está os FT na Russia. Atualmente, Russia, depois dos USA é o pais do rocking, e para mim é o modelo e objetivo a seguir. Se a Suiça chega a ser melhor que a Russia, terei alcançado minha meta e cumprido com meu papel.
Com Ringo Master Mind


Nest:Para você, o Rocking faz parte da cultura Hip Hop ?


Poeto: Para mim e para os que praticamos, o rocking não faz parte do Hip Hop, porém, estão ligados. Tem que saber, que o rocking chegou antes que o bboying. É o baile que deu nascimento ao bboying, pode-se dizer que o rocking é um antepassado do bboying e do Hip hop, no sentido que muitos dos seu trejeitos foram recuperados, assim , não faz parte, mas estão interligados.

Nest: Que sabe do Hip Hop na América Latina? E como comparas com o que acontece na Suiça ou em Europa?


Poeto: Sinceramente, não conheço muito bem o hip hop na América Latina, o que sei é por membros de TBB e de MMR que conheço, que vivem em Equador e Panamá por exemplo, ou pelos diferentes encontros que pude ter.
Pelo que pude ver, a cultura Hip Hop lá (America Latina) se vive em sua forma mais pura. Penso que está também, muito ligado com a situação económica e social. Pelo que pude ver, os Bboys, DJ, Writers e MCs a vivem de maneira muito mais autêntica.
 
Por exemplo com Nest Panos, o que vejo é que América Latina transborda de energía e de projetos. Penso que estaría bom que mais gente se interesse por ese continente. Seria positivo para todos de poder ir para lá e conhecer melhor o que passa em America Latina. No meu ponto de vista, temos muito que aprender, o problema que viajar custa caro e quando se tem pouco dinheiro as pessoas no hip hop aquí na Europa faz favorece  a ir a USA Y Asia; Corea e Japão sobre tudo. Por isso A.L não é o primeiro destino que se pensa. O que não deixa de ser uma pena já que como acabo de dizer, é um continente que merece ser conhecido.
Penso que cada vez mais pessoas vão se interesar. Por exemplo, , o fato de Footwork Squad ou Funk Fockers viajarem e se fazerem porta vozes cada vez que vem a Europa, contribui muito para isso. Penso que as pessoas vão começar a fazer planos de ir a América Latina.


Nest: Deixe um salve pra galera...

Poeto: Grande abraço aos meus irmãos de FWS, William e Pedrinho. Ótimas pessoas e que representam o autêntico hip Hop. Respeito aos bboys e as pessoas do sul da América. Muito amor, respeito paz e luz.
Salve pras minhas crews TBB-MMR
https://www.youtube.com/watch?v=kIt4ssWJQHw

Contato facebook Guillaume 'El Poeto' Fernandez





 

Nenhum comentário: